Por conta do Decreto Salvini, que entrou em vigor na Itália a partir de 2018, os processos que envolvem a naturalização italiana passaram a ficar um pouco mais difíceis, visto que, por conta da publicação, passou a ser necessário a apresentação do Exame B1 Italiano, um tipo de certificado de fluência em italiano, que neste caso, deve estar num grau igual ou superior ao identificado “B1”.

Neste texto, você vai entender o passo-a-passo para fazer o Exame B1 Italiano, tirar as documentações necessárias e também vai saber onde obter tal documentação. Continue lendo e entenda também a importância do assunto.

 

O que é o Decreto Salvini?

De início, é preciso entender o que é o Decreto Salvini para saber com o que estamos lidando.

O decreto foi criado pelo Ministro do interior da Itália, Matteo Salvini e foi pensado para auxiliar o país com os novos problemas de segurança interna.

Contudo, este decreto não só envolve o recebimento de refugiados, mas também abrange os assuntos envolvendo a estrangeiros sem decência, mas que procuram a dupla cidadania. Uma dessas especificações requeridas para a dupla cidadania passou a ser o Exame B1 Italiano.

 

O que é exame B1 Italiano?

Quando existe a vontade de começar a estudar ou trabalhar em qualquer país estrangeiro, não basta apenas o passaporte, antes de tudo, é preciso respeitar um parâmetro internacional, que é controlado pelo Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR).

Este órgão apresentou alguns parâmetros para padronização e certificação das fluências de cada língua, como o inglês e o próprio italiano (neste último caso, o Exame B1 Italiano).

Nisto, foram divididos em seis os níveis de fluência de uma pessoa, sendo elas A1, A2, B1, B2, C1 e C2.

O nível de certificação B é para as pessoas que têm um pouco mais de conhecimento, compreensão e entendimento da língua em questão.

O B1, especificamente, se refere aos indivíduos que têm uma compreensão maior dos assuntos mais conhecidos do país em questão. Com esta proficiência em dia, tornam-se mais fáceis e espontâneas as conversas do estrangeiro para com o nativo, correndo menos riscos de mal-entendidos.

 

Como tirar?

É preciso lembrar que, antes de tudo, existe um processo burocrático, por isso, você precisa ter o seu italiano em dia, por meio de cursos e/ou treinamento. Em seguida, quando achar que está suficientemente pronto e fluente, você deve fazer o Exame B1 Italiano.

O Exame B1 Italiano para a obtenção do certificado, é voltado principalmente aos estrangeiros que residem na Itália e aos cidadãos italianos que residem fora do país.

Após ter essa certificação, o Ministério de Relações Exteriores da Itália está liberado para reconhecer a sua proficiência em língua italiana.

Inclusive, este documento é aceito em inúmeras instituições e universidades, tanto no Brasil quanto no exterior.

Ela também pode ser utilizada na solicitação de bolsas outorgadas pelo governo italiano ou em instituições acadêmicas públicas e particulares italianas.

 

Onde tirar?

Além do já citado Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR), o governo europeu também conta com outros princípios ditados pelo Conselho da Europa, o Parlamento Europeu e o Conselho Europeu de Ministros

Estes estão subordinados ao programa do Portfolio Europeu das Línguas, que como o CEFR, tem como meta promover as competências na hora da comunicação, da mobilidade e das relações interculturais.

Na parte da certificação do conhecimento/entendimento da língua italiana como uma língua estrangeira, foi criada a Associação Italiana de Certificação de Qualidade (CLIQ). Este órgão reúne quatro organismos de certificação, cada um conta com certificações únicas, sendo elas:

  • CELI (Certificati di Lingua Italiana), da Università per Stranieri di Perugia.
  • CILS (Certificazione di Italiano come Lingua Straniera), da Università per Stranieri di Siena;
  • IT da Università Roma Tre;
  • PLIDA (Progetto Lingua Italiana Dante Alighieri), da Società Dante Alighieri.

 

Todas elas têm datas específicas e diferentes para as aplicações dos Exames B1 Italiano e todas elas são certificadas pelas próprias instituições.

Agora, para quem precisa do mesmo certificado para fins acadêmicos e/ou de trabalho, é preciso prestar um outro Exame B1 Italiano, específico para estes casos.

 

Tipos de certificação para quem busca o B1

A certificação B1 para a língua italiana (ou para qualquer outro idioma) avalia as seguintes habilidades:

  • Compreensão Oral;
  • Interpretação de Texto;
  • Análise das estruturas comunicativas;
  • Produção escrita;
  • Produção Oral.

 

Quando o Exame B1 Italiano é solicitado na obtenção da cidadania?

Como dito antes, o Decreto Salvini atinge somente as pessoas que não tem qualquer parentesco com italianos e que estão morando na Itália, nisso entram os que tentam a naturalização via matrimônio ou os que estão há bastante tempo tendo a Itália como residência.

Agora, para pessoas que apresentam parentesco direto com italianos (isto sem limite de gerações), a consideração como cidadão italiano começa a partir do primeiro dia de vida, por mais que tenha nascido fora da Itália.

Estas pessoas podem requisitar a cidadania sem passar por tantos trâmites de proficiência (como aqui falado, o B1), pois tem a tutela do Jus Sanguinis (direito de sangue).

 

Conclusão

A vontade de possuir uma dupla cidadania, neste caso, italiana, é um objetivo de uma grande parte de brasileiros que têm descendência italiana, afinal, nosso país concentra a maior quantidade de descendentes italianos do mundo.

Porém, este processo de obtenção de nacionalidade é burocrático e muitos têm dúvidas quanto às etapas de aquisição.

A 4doc  uma empresa com uma equipe especializada em gestão integrada de documentos e traduções e pode te ajudar com os processos de solicitação para cidadania italiana via matrimonio.

Solicite agora um orçamento de tradução juramentada.

Entre em contato agora

Telefone/Whatsapp: (13) 99734-0924.

Endereço: Avenida Ana Costa, 311 – Conjunto 93 e 94, no Gonzaga, em Santos

Peça orçamento pelo site.

Compartilhe: